Conheça 3 causas da queda dos cabelos

Notícias // // 26/01/2018

simpatia para cabeloNo inverno é de praxe que você sinta que seu cabelo cai mais do que no restante do ano. E dois fatores são importantíssimos para que você tenha essa sensação. O primeiro é que, segundo os especialistas, como os dias são mais curtos, e o cabelo precisa de luz para viver, ele percebe a reação de maior e menor luminosidade dos ambientes. “Essa mudança diminui o estímulo da divisão celular, o que gera um número menor de fios e ainda enfraquece a raiz. Resultado: além de o cabelo cair mais rápido, ele também nasce mais devagar no inverno”, diz Vanessa Penteado, dermatologista da Clínica Pantheon (SP). O segundo fator é que normalmente se perde entre 60 e 100 fios por dia. “Eles se referem à taxa de 10% dos fios do couro cabeludo que estão na fase telógena (de queda). Se temos 100 mil, caem 100 por dia”, lembra Maria Fernanda Gavazzoni, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (RJ). No entanto, se a mulher não lava o cabelo diariamente, acumulam-se os fios soltos presos entre os demais. Por isso pode ter a sensação de que está perdendo 600 fios de uma só vez, quando não é verdade.”

Eflúvio telógeno
Durante a gestação, os hormônios entram em ação, e a progesterona, por exemplo, é a responsável por deixar os fios mais volumosos, sedosos e bonitos. “Os hormônios da gravidez fazem que a fase de crescimento, a anágena, dure por mais tempo, fazendo que o cabelo fique realmente mais encorpado”, afirma Helua Gazi. Depois de dois ou três meses após o parto, os níveis de hormônio novamente se alteram e o cabelo se modifica. “Chamamos esse tipo de queda de cabelo ‘programada’. Nesse período, muitos fios vão se encontrar na fase telógena (queda) e acabam caindo muito mais do que o normal”, explica. Mas o eflúvio telógeno não ocorre somente após a gestação. Muitas vezes, ele acontece depois de procedimentos cirúrgicos, agressão emocional, deficiência alimentar, cansaço intenso e processos infecciosos. O normal é ter 10% apenasde folículos na fase telógena, mas no momento pós-parto pode-se chegar a 50%. “Há casos em que o fenômeno de queda pode se prolongar por mais de seis meses, mas são raros”, alerta Murilo Drummond, dermatologista e professor titular do Instituto de Pós-Graduação Médica Carlos Chagas (RJ).

Alopecia areata
Conhecida popularmente como “pelada”, é uma doença que atinge igualmente homens e mulheres, caracterizando-se pela queda repentina dos pelos nas áreas afetadas, sem alteração da superfície cutânea. “Geralmente há formação de placas arredondadas, nas quais não há crescimento do cabelo. Pode ocorrer em qualquer região onde haja pelos, como no couro cabeludo, na barba, etc.”, exemplifica Helua Gazi. Entre as possíveis causas, estão uma predisposição genética que seria estimulada por fatores desencadeantes, como o estresse emocional e fenômenos autoimunes. “Nesse caso, empregam-se tratamentos locais com o intuito de reduzir o processo inflamatório.”

Alopecia androgênica
É a famosa calvície. “É uma manifestação fisiológica que ocorre em indivíduos geneticamente predispostos levando à queda do cabelo, que sofre um processo de miniaturização. A herança genética pode vir do lado paterno ou materno”, afirma Helua Gazi. A alopecia androgênica é o resultado da estimulação dos folículos pilosos por hormônios masculinosque começam a ser produzidos na adolescência (testosterona). “Ao atingir o couro cabeludo de pacientes com tendência genética para a calvície, a testosterona sofre a ação de uma enzima, a 5-alfa-redutase,e é transformada em di-hidrotestosterona (DHT). É a DHT que vai agir sobre os folículos pilosos, promovendo a redução progressiva a cada ciclo de crescimento do cabelo, que vai se tornando menor e mais fino. O resultado é a calvície”, explica a dermatologista. Segundo ela, nesse caso, assim como na alopecia androgenética feminina, o tratamento visaao prolongamento da vida útil dos folículos pilosos retardando ou interrompendo o processo de queda do cabelo. E isso pode ser feito por meio do uso de substâncias aplicadas diretamente no couro cabeludo,como o minoxidil, ou com medicamentos por via oral, como a finasterida, que recentemente passou a ser indicada para as mulheres.

Fonte: Corpo a Corpo

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

agende sua consulta

Inscreva-se para reservar um horário

Golden Clinic

SOBRE A GOLDEN CLINIC

Somos uma clínica especializada em dermatologia, laser, longevidade, nutrologia e medicina esportiva. Unimos tecnologia, bom atendimento e qualidade técnica.

ENTRE EM CONTATO

(61) 3242-0122 (61) 3306-1003

SEPS 709/909 Bloco B Sala T10 - Centro

Médico Júlio Adnet - Asa Sul - Brasília, DF

Golden Clinic -- 2017 © Copyright | Todos os direitos reservados | Desenvolvimento por BSB Connect

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?